As Aceleradoras, Incubadoras de Startups e Venture Builders desenvolvem e investem  em iniciativas digitais e  startups. Apesar disso, cada uma possui características únicas. Entenda de uma vez por todas as diferenças entre uma Incubadora, Aceleradora de Startup e Venture Builder!

Um mapeamento realizado pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) demonstrou que, no Brasil, já existem mais de 363 incubadoras de negócios inovadores e 57 aceleradoras.

Além dessas organizações, existem novos players que têm se destacado no ecossistema de inovação brasileiro: os Venture Builders.

As Aceleradoras, Incubadoras de startup, e Venture Builders tem como objetivo apoiar o desenvolvimento de novas iniciativas e investir recursos e/ou capital no desenvolvimento e crescimento de iniciativas digitais e  startups. Apesar de possuírem o mesmo princípio, cada uma dessas frentes possui características particulares em sua atuação. 

Por essa razão, conhecer o propósito e modus operandi desses verdadeiros hubs de inovação pode fazer toda a diferença no momento de escolher um lugar para desenvolver a sua ideia. Ainda mais porque as Venture Builders e Startup Studios são personagens novos no ecossistema de inovação.

Mas, afinal: quais as diferenças entre uma Incubadora de startup, Aceleradora e Venture Builder? 

Continue a leitura e tire a sua dúvida de uma vez por todas.

O que é Incubadora de Startup?

A incubadora é uma organização voltada ao desenvolvimento de ideias inovadoras com alto potencial de desenvolvimento. Geralmente, essas instituições são criadas a partir de acordos de cooperação entre várias entidades (como universidades, institutos de pesquisa, empresas, governo, etc) com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento de um produto. 

Para isso, o investimento oferecido costuma ser a infraestrutura física e técnica de mentores voluntários nas diferentes áreas de gestão na empresa, sendo que não há cobrança de taxa pelos seus serviços. Da mesma forma, as incubadoras não detém participação na ideia dos negócios incubados.

De maneira geral, as incubadoras não têm fins lucrativos, sendo mantidas através da captação de verba pública ou privada. Possuem como base o modelo tradicional de consultoria, e são lideradas por gestores e mentores com experiência de mercado, muitos deles professores de Universidades. 

Não existe uma regra geral para conseguir ingressar numa incubadora, cada uma possui suas normas. A entrada, portanto, pode ocorrer tanto através de um processo de competição quanto via apresentação direta para seus responsáveis.

O que é Aceleradora de Startup?

As Aceleradoras de Startup são empresas que possuem o objetivo de investir no desenvolvimento rápido de startups com alto potencial de escala. Sua ideia central é catalisar recursos de toda sorte para que um protótipo ou até mesmo uma startup chegue mais rapidamente – e, quem sabe, mais saudável – a um investimento maior.

No geral, a aceleração ocorre com startups que já passaram da fase de ideação e desenvolvimento da ideia. Apesar disso, podem admitir negócios em fase inicial (protótipo) num processo chamado pré-aceleração.

Além de investirem financeiramente nos novos negócios, as Aceleradoras oferecem mentoria, conteúdos, dicas de mercado e networking para startups com grande potencial de crescimento. A contrapartida das aceleradoras pode ser um percentual das empresas aceleradas, podendo também atrelar o aporte a resultados em determinado período de tempo.

Para participar de uma turma (batch) das aceleradoras, você precisa submeter sua ideia, projeto ou startup para apreciação através de processos seletivos ou competições que ocorrem entre 2 a 4 vezes ao ano. Entretanto, cada aceleradora possui seu próprio critério de avaliação para a entrada e saída na turma com o investimento. Cada turma têm duração média de 3 a 6 meses.

Em alguns casos, é oferecido um aporte inicial para o desenvolvimento da tecnologia, que varia entre R$50.000 a R$150.000. Esse aporte, entretanto, nunca é usado para pagar o pró-labore dos empreendedores.

A taxa pelos serviços da aceleradora consiste em um percentual da empresa (equity), que pode variar entre 5% a 15%.

O que é Venture Builder? 

Os Venture Builders, também chamados de startup studio ou fábricas de startups, são empresas que investem, constroem e desenvolvem startups através de recursos próprios, desde infraestrutura física até recursos humanos. Em contrapartida, obtém participação acionária (equity) da startup criada. 

Hoje em dia existem variações da contrapartida, quando serviço é prestado para outros investidores ou mesmo empresas. Esse tema será abordado de forma mais aprofundada em outro artigo específico, no qual vamos comparar o venture builder à startup studios e tech studios.

Os venture builders oferecem maior segurança ao empreendedor pois participam ativamente dos processos operacionais da startup, sendo essenciais na gestão das diferentes áreas (financeiro, jurídico, marketing, etc). Além disso, auxilia desde o desenvolvimento do modelo de negócios até a criação do MVP.

O objetivo do modelo é dinamizar a evolução da startup, de forma a reduzir custos e riscos que envolvem a criação de um novo negócio. Nova Spivack, investidor anjo que criou o termo Venture Builder, afirmou que essa é “uma nova abordagem para a criação de startups”.

Como entrar em um venture builder?

Para entrar num venture builder é necessário submeter o projeto para a apreciação dos sócios, de forma semelhante aos pitchs para fundos de investimentos. A avaliação de uma ideia ou projeto não tem período específico, pois não existe turma (batch) nos venture builders. Assim, podem realizar a construção de uma startup, dar continuidade a um protótipo ou reestruturar uma startup em qualquer período do ano. 

Caso os serviços sejam contratado por clientes corporativos ou grupos de investidores que buscam desenvolver seus próprios negócios, o venture builder torna-se um startup studio, ou seja, uma fábrica de startups.

Não existe regra determinada para a taxa de serviços dos venture builders, sendo que cada caso é analisado individualmente. Dessa forma, a depender do serviço prestado, podem ficar com uma participação societária pequena, majoritária ou até mesmo não ter participação societária alguma.

Finalmente: qual a diferença entre Aceleradora, Incubadora de Startup e Venture Builder?

Apesar de os 3 modelos de negócios terem como objetivo o desenvolvimento de novas iniciativas digitais e/ou startups, existem diferenças fundamentais em seu funcionamento e modelo de negócios.

Estágio de Desenvolvimento

A principal diferença entre as aceleradoras e as incubadoras está no estágio de desenvolvimento em que a startup ou projeto se encontra. Enquanto as incubadoras focam no desenvolvimento do projeto até sua validação, as aceleradoras buscam soluções mais estruturadas, em processo de crescimento ou validação. 

No caso dos venture builders, as ideias de novos negócios surgem internamente, podendo ocorrer para atender um cliente ou grupo de investidores. Frequentemente, isso acontece a partir da busca por uma solução de um problema identificado no mercado. 

Fontes de Verba

Outra diferença marcante entre os modelos é, como já dito, sua fonte de renda. Enquanto incubadoras comumente utilizam verba pública ou de instituições educacionais para seu funcionamento, as aceleradoras e venture builders utilizam-se de capital privado, próprio ou de terceiros para investir.

Além disso, incubadoras apoiam empresas que estejam acordadas com alguma demanda governamental ou regional, necessitando de um plano de negócio mais estruturado para conquistar o apoio do setor público. 

Por sua vez, as aceleradoras focam em negócios que possuam alto potencial de crescimento rápido, dando enfoque a startups escaláveis. Por essa razão, costumam investir em boas ideias, buscando a agilidade no seu desenvolvimento. Nesse ponto, as aceleradoras se assemelham aos venture builders.

Disruptura

Um ponto de destaque entre os venture builders e os outros modelos é o rompimento com as formas comuns de investimento de capital de risco. Através dos recursos compartilhados, aceleram o desenvolvimento do negócio otimizando o ciclo de vida das startups, realizando os investimentos com aporte da própria equipe.

Bônus: Qual modelo é melhor para o meu negócio?

Como você pode perceber, existem diversos fatores que devem ser levados em consideração no momento de encontrar o apoio perfeito para o desenvolvimento da sua ideia.

Se você tem uma ideia em fase inicial e pretende empreender através de modelos mais tradicionais, a incubadora pode ser um bom lugar para seu negócio. 

Se você pretende se pautar na Nova Economia, utilizando a inovação e agilidade para um projeto já encaminhado, as aceleradoras são mais indicadas.

Caso você busque uma solução inovadora e ágil com expertise e segurança para sua tirar sua ideia do papel, os venture builders são uma boa possibilidade.

Tenha em mente que qualquer opção escolhida representará a abertura de um extenso leque de possibilidades de crescimento para a sua iniciativa digital ou startup.

Está procurando incubadoras de startups, aceleradoras ou venture builders para desenvolver sua ideia? Reunimos as principais entidades do Brasil para te ajudar. 

Ah! Reunimos também associações e organizações de apoio à inovação. Boa sorte!

Move2

DISTRITO 

Incubadoras e Aceleradoras

Investidores e Venture Capitals

Associações & Apoio a Inovação