Se o seu objetivo é iniciar um novo empreendimento, esse guia é para você! Reunimos as informações essenciais sobre as 4 principais etapas do empreendedorismo – descoberta, ideação, modelagem e experimentação e a implantação – para te auxiliar. Continue a leitura e descubra como começar a empreender do zero!

Empreender nos tempos modernos é um desafio. Com as constantes transformações promovidas pela Nova Economia, criar um produto ou serviço que sobreviva ao mercado depende da abertura para o aprendizado rápido e constante. 

Seja uma nova empresa ou uma companhia já estabelecida, a inovação disruptiva se torna central no contexto da 4ª Revolução Industrial. Também conhecida como indústria 4.0, esse novo paradigma é marcado pela forte presença tecnológica unida à técnicas eficientes de produção e operações. Dessa forma, a inovação constante é fundamental para aumentar as chances de sobrevivência de um negócio.

Se o seu objetivo é iniciar um novo empreendimento, esse guia é para você! Reunimos as informações essenciais sobre as 4 principais etapas do empreendedorismo para te auxiliar nessa empreitada. Continue a leitura e descubra como empreender do zero!

Como começar a empreender?

Para iniciar o seu negócio, é importante ter claro quais são os 4 pilares fundamentais da criação de um empreendimento: a descoberta, a ideação, a modelagem e experimentação, e, finalmente, a implantação

Apesar de essas etapas terem características bem específicas, elas podem se sobrepor. Da mesma forma, é possível que você precise retornar a alguma dessas fases. Durante o processo de lapidação de uma ideia, a necessidade de recalcular a rota é normal – esse processo chama-se pivotagem. É importante, portanto, ser flexível e resiliente caso as ideias não resistam ao confronto com prática.

Está pronto para aprender como começar a empreender? Então vamos lá!

Descoberta

A etapa de descoberta é a base de todo empreendimento. É nesse momento que o empreendedor conectará seus talentos, conhecimentos e propósito a novas oportunidades de negócio.

Aqui, você deve analisar a fundo quais são suas paixões ou hobbies – é essencial que você opte por uma atividade pela qual tenha gosto. Não faz sentido dedicar tempo e esforço em um negócio que você não goste de fazer.

A princípio, é essencial questionar os porquês da decisão de empreender:

O que eu quero para a minha vida? 

Que marca pretendo deixar? 

Que valor eu gero com o meu trabalho? 

Qual é o meu propósito?

Se você ainda não sabe a resposta dessas perguntas, o Ikigai,  filosofia japonesa do propósito, e o Golden Circle, metodologia de criação de impacto, podem ajudar. Tenha claro que muitas dessas questões não terão respostas prontas. Da mesma maneira, é possível que algumas de suas respostas mudem com a passagem do tempo.

A professora da Universidade de Virgínia, Saras Sarasvathy, criou o termo de Effectuation: a abordagem efetiva do empreendedorismo. Segundo esse conceito, a melhor maneira de empreender envolve a prática constante somada às tentativas e erros. 

No momento de descoberta, portanto, o avanço do negócio depende da aplicação da mentalidade empreendedora somada a abordagem efetiva na execução da ideia. 

Ideação

Na fase de ideação, é importante que você busque por novas formas de buscar respostas. Dessa maneira, será possível encontrar alternativas inovadoras que sejam efetivamente competitivas no mercado. 

Para isso, a criatividade deve ser o pilar central da etapa de ideação. Em suma, o processo de geração de ideais possui dois elementos principais: o primeiro é a concepção de ideias que sejam realmente úteis. O segundo ponto é a aplicação efetiva dessa ideia. Segundo Linus Pauling, ganhador de dois Prêmios Nobel, “a melhor forma de ter uma boa ideia é ter muitas ideias”.

Para isso, você precisa buscar o máximo de informações que puder sobre o mercado de atuação do seu empreendimento, analisando concorrentes e avaliando o comportamento dos potenciais clientes. Desta forma, será possível identificar seus desafios estratégicos, o que acarretará numa maior facilidade em identificar oportunidades de negócio.

Existem diversas técnicas e metodologias que podem te auxiliar a ter boas ideias. Dentre elas, as de maior destaque para empreendedores são o brainstorm e o design thinking

Enquanto o brainstorm permite a geração de ideias em volume, o design thinking permite organizar, avaliar, construir, testar e implementar essas ideias. Dessa forma, é possível realizar o processo de ideação alinhado aos objetivos propostos no momento da descoberta.

A Técnica dos Seis Chapéus do Pensamento também é muito útil para encontrar as respostas de um problema. Além de ampliar as perspectivas analíticas, permite a geração de um maior número de soluções em diferentes âmbitos.

Da mesma maneira, ferramentas como o Mapa de Empatia, a realização de pesquisas de mercado e a criação de personas são extremamente úteis. Com elas, você pode entender melhor o comportamento do seu potencial cliente, adequando sua estratégia aos motivos pelos quais o seu produto será contratado. 

Modelagem e Experimentação

É na etapa de modelagem e experimentação que o seu projeto começa a tomar forma! 

Antes de mais nada, você deve buscar compreender a fundo o seu cliente, quais são as suas dores e os benefícios que ele almeja. A partir dessas respostas, você estará pronto para construir uma proposta de valor que esteja perfeitamente alinhada com o perfil do seu cliente ideal. 

Nesse ponto, você deve se perguntar: 

Qual problema estou solucionando para o meu cliente? 

Todo produto ou serviço de qualidade deve estar adequado às demandas do cliente. Caso contrário, é bem provável que o seu negócio não tenha o êxito esperado. 

O Canvas da Proposta de Valor permitirá que você construa – de forma estruturada –  a proposta de valor do seu negócio. Além disso, irá prepará-lo para validar suas hipóteses pela perspectiva do cliente.

A partir das informações colocadas em seu Canvas de Proposta de Valor, você deverá fazer um balanço financeiro. Afinal, a proposta de valor só será relevante se o seu negócio for sustentável. Assim, você deverá buscar fontes de receitas para bancar a estrutura de custos do empreendimento.

A partir da definição de seu modelo de negócios e da sua proposta de valor, você poderá criar seu primeiro protótipo. Nesse momento, é importante ter em mente que o fator decisivo para o sucesso do negócio é a velocidade com a qual você disponibiliza seu produto no mercado. Dessa maneira, você pode errar – e aprender – mais rápido, adequando sua solução às demandas do cliente.

O ambiente de negócios também deve ser muito bem analisado, já que possui grande impacto no ciclo de vida do negócio. Para além da avaliação do seu modelo de negócios, dedique seu tempo no estudo dos fatores externos que podem influenciar seu empreendimento.

Implantação

É nesse momento que você irá colocar o seu modelo de negócios em prática! Agora, a aplicação do lean startup – também conhecido como startup enxuta (ou empreendedorismo enxuto) – será fundamental. 

Existem 3 princípios básicos do lean startup:

1. Você não precisa gastar meses para criar um planejamento rígido;

2. A abordagem do ‘desenvolvimento de clientes’ permitirá o teste de hipóteses (e consequentes ajustes ou pivotagens);

3. O desenvolvimento deve ser rápido, utilizando o mínimo possível de tempo e dinheiro.

A abordagem do lean startup se baseia na execução de ciclos rápidos de aprendizado a partir de testes de protótipos simples e inacabados. Diferentemente da estratégia tradicional, pautada pelo plano de negócios, esse modelo tem como foco o produto mínimo viável – o MPV. 

O MPV (Minimum Viable Product) é uma versão simplificada de seu produto com suas principais funcionalidades e valor agregado para o cliente. Com ele, você pode testar rapidamente diferentes hipóteses sobre o seu produto ou serviço. Dessa maneira, o MPV é consequência de tentativas e erros, aprendizagem e de diferentes protótipos.

Eric Ries, autor do livro que deu nome ao movimento Lean Startup, propôs um ciclo de 3 etapas para testar hipóteses em experimentos com clientes reais: construir, medir e aprender.

Construir é o mesmo que criar algo de valor para os indivíduos, o mais rápido possível. Após apresentar esse mínimo para o seu cliente, você deverá medir os resultados das suas hipóteses segundo seus indicadores de sucesso. Através do feedback colhido, você poderá aprender o que é melhor para o cliente.

Assim, o seu negócio será constantemente aperfeiçoado e desenvolvido, evoluindo cada vez mais.

Bônus: Como perder o medo de empreender?

A forma mais segura de perder o medo de empreender é colocar a mão na massa. A aceitação dos erros e dos imprevistos é a maneira mais segura de não deixar que o temor tenha efeito paralisante sobre você.

“Se você não está preparado para errar, é improvável que alcance qualquer coisa ORIGINAL.”

Sir Ken Robinson

Por isso, permita-se errar. Conforme vimos, esse é o caminho mais rápido para o aprendizado. Não existem certezas em cenários de incertezas. Portanto, para aumentar suas possibilidades de sucesso, comece a agir o quanto antes. Tempo é dinheiro, não é?

Correr riscos faz parte do processo de empreender. Por mais que a busca pela maximização da sensação de segurança e controle seja natural, é impossível ter controle sobre todos os fatores de influência no sucesso de um negócio. Por isso, esteja preparado – e disposto – a falhar.

Caso queira, temos um post com dicas de como superar as 4 maiores dificuldades ao começar a empreender do zero. Clique aqui para acessar o conteúdo. Esperamos que ajude!


Caso você prefira obter a orientação de profissionais experientes para iniciar o seu projeto, existem diversas iniciativas no mercado que podem lhe ajudar, como ventures builders, aceleradoras e incubadoras. 

Nesses ambientes você encontrará o suporte e a mentoria necessária para tirar a sua ideia do papel de maneira ágil, eficiente e eficaz. Além de ampliar as sua chances de sucesso, você terá maior suporte e segurança para empreender. 

Esse conteúdo foi baseado no Guia Essencial para Empreendedores, do SEBRAE. Para acessar os volumes completos do Guia, clique aqui.